Carregando...

NOTÍCIAS

28 Janeiro

Pesquisadores da Unemat retratam a degradação da Floresta Amazônica

Parte do que foi discutido na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), na Escócia no ano passado, foi sobre o emergente mercado de carbono, em que os países ou indústrias que tem um excedente de carbono gerado por suas atividades poderiam adquirir créditos de carbono como forma de compensação por suas emissões. Este mercado de carbono faz parte de um esforço mundial para combater o aquecimento global e, neste ponto, o Brasil apresenta um grande potencial representado por sua Floresta Amazônica.

Leia Mais
11 Janeiro

Projeto de pesquisa com parceria entre Unemat e UFMS é contemplado em Edital de Carbono Neutro no Ma

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) elaboraram um projeto de pesquisa visando a neutralização das emissões de Gases Efeito Estufa (GEE) em Mato Grosso do Sul. O projeto intitulado “Balanço de carbono nos biomas de Mato Grosso do Sul: fontes e sumidouros utilizando sensores remotos e modelagem futura” foi aprovado o montante de R$ 999.510,20 na chamada MS carbono neutro, edital da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia (Fundect).

Leia Mais
05 Setembro

Mercado de tecnologia espacial cresce com constelações de nanossatélites

O mercado de satélites vem crescendo significativamente devido a novidade dos nanossatélites, que existem há menos de 15 anos, em especial os do tipo CubeSat. Como o nome indica, são pequenos satélites (de um a dez quilogramas, ao invés de toneladas), relativamente baratos (menos de € 500 mil, ao invés de valores que podem chegar até € 500 milhões) e de rápido desenvolvimento (estruturado em meses, ao invés de anos como os satélites mais comuns).

Leia Mais
05 Setembro

O sensoriamento remoto de florestas auxilia na compreensão de incêndios florestais catastróficos

Gigafire, um fogo que queima mais de um milhão de acres, era uma palavra que não tinha sido usada na Califórnia antes de 2020. Isso mudou com o incêndio complexo de agosto que queimou mais de um milhão de acres em 2020. Nem todos os incêndios são ruins - nós podemos ' t e não deveria querer apagá-los todos - mas diminuir a gravidade dos incêndios florestais por meio de solo aprimorado e gerenciamento de recursos é fundamental. É aí que o Dr. Jonathan Greenberg e sua equipe estão fazendo a diferença com sua pesquisa e colaboração com o Serviço Florestal dos EUA, CalFire e o Conselho de Recursos Aéreos da Califórnia.

Leia Mais
05 Setembro

BRICS assinaram acordo para compartilhar dados de satélite de sensoriamento remoto

Os líderes das agências espaciais do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul [BRICS] assinaram um acordo sobre compartilhamento de dados de satélite de sensoriamento remoto na quarta-feira, 18 de agosto de 2021.
O acordo permite que as agências espaciais do BRICS construam em conjunto uma constelação virtual de satélites de sensoriamento remoto, usando seus satélites existentes, para funcionar como um mecanismo de compartilhamento de dados. Esse mecanismo de compartilhamento de dados ajudará as agências espaciais do BRICS a resolver os desafios diários, como mudanças climáticas, desastres e proteção ambiental.

Leia Mais
31 Maio

Plataforma SojaMaps divulga dados da safra 2020/2021

A Plataforma SojaMaps acaba de lançar, nesta quinta-feira (27/05), o quinto mapeamento da soja no estado de Mato Grosso, relativo ao ano safra 2020/2021. Nesse período, houve uma redução de 275.560 hectares (2,59%) na área plantada em relação à safra anterior, que foi de 10.650.421 hectares (2019/2020). Para os pesquisadores, essa diminuição possivelmente se deve às secas ocorridas na semeadura e a chuvas irregulares na colheita.

Leia Mais
15 Fevereiro

Portaria prevê sensoriamento remoto para regularização fundiária

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) publicou, no Diário Oficial da União de hoje (2) uma instrução normativa que, segundo a pasta, pretende desburocratizar o processo de regularização fundiária no país. De acordo com o Incra, a Instrução Normativa (IN) 104 apresenta, como “novidades”, a regulamentação do uso do sensoriamento remoto na análise dos processos, e a definição dos casos em que se exigirá ou não a inscrição no Cadastro Ambiental Rural, para regularização do imóvel.

Leia Mais
15 Fevereiro

Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto tem eixo sobre resultados do plano ABC

O Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, um dos mais importantes e tradicionais eventos sobre ciência, ambiente e geotecnologia, esse ano terá uma versão on-line, o SBSR interim, que ocorrerá entre de 5 a 16 de abril. Um dos eixos do simpósio é coordenado pelos pesquisadores da Embrapa Meio Ambiente Luiz Eduardo Vicente e Luciana Spinelli-Araújo, com o tema de demandas e resultados do monitoramento da Agricultura de Baixo Carbono (ABC) utilizando sensoriamento remoto. Conforme Vicente, “nesse eixo teremos a participação de cientistas referenciais no tema Meio Ambiente e Geotecnologias, como Douglas Morton, pesquisador e cdo Biospheric Sciences Laboratory, Goddard Space Flight Center – National Aeronautics and Space Administration (NASA), José Alexandre Demattê, professor Titular da Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Adriano Venturieri, pós-doutor pela Universidade de Oxford, UK, doutor em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Sabine Chabrillat, Helmholtz Center Potsdam GFZ German Research Center for Geosciences, Laerte Guimarães, professor titular e Pró-Reitor de Pós-Graduação da Universidade Federal de Goiás (UFG), doutor em sensoriamento remoto pela University of Arizona (USA). “Esse eixo faz um apanhado das tecnologias e ciência no estado da arte as quais utilizamos de maneira aplicada nos trabalhos da Plataforma ABC (https://www.embrapa.br/en/meio-ambiente/plataforma-abc) desde do início de suas atividades, encerrando o ciclo do plano ABC em 2020, e apontando novas iniciativas e demandas. Também faz uma ponte com o projeto Agrotag_Territórios, recém aprovado e já iniciado que temos com o governo do Pará, sendo que um dos palestrantes é o pesquisador e chefe da Embrapa Amazônia Oriental, já que o estado sempre esteve no foco das questões ambientais e Amazônia”, destaca Vicente. ABC A agricultura de baixa emissão de carbono (ABC) compreende um conjunto de técnicas e manejos agrícolas que visam aumento de produtividade de maneira sustentável, sobretudo de baixa emissão ou mitigação de gases de efeito estufa (GEEs) nos processos agrícolas de uso e cobertura das terras. Atualmente, conforme explica Vicente, representa um importante conjunto de iniciativas internacionais, previstas nas NDCs (Metas Nacionalmente Apropriadas) durante a COP 15 (Conferência das Partes) e manifesta no Brasil pelo Plano Setorial de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura (Plano ABC), e defendidas anualmente nas demais COPs desde então. A adoção dessas metas representa não apenas processos de produção sustentável, mas a inserção e manutenção do Brasil ao acesso de fundos financeiros internacionais, bem como a dissipação de barreiras não alfandegárias restritivas ao comércio exterior. Entretanto, um dos grandes desafios vinculados à adoção da chamada agricultura ABC refere-se à questão do monitoramento em larga escala, o qual demanda métodos e técnicas de sensoriamento remoto voltados à tríade: Monitoramento-Relatório-Verificação (MRV), de forma a certificar quantitativamente os avanços da adoção das técnicas de manejo de baixa emissão de carbono. Os especialistas convidados para o eixo, além de parceiros e colegas de atividade, perfazerm o escopo científico de referência internacional das técnicas e métodos que utilizamos no atendimento de demadas da sociedade, sendo um grande exemplo de ciência aplicada”. Destaca Vicente A pesquisadora Luciana Spinelli explica que, “os últimos anos por meio da criação da Plataforma ABC (Laboratório da Embrapa Meio ambiente), foram desenvolvidas abordagens em sensoriamento remoto aplicadas ao monitoramento da agricultura de baixo carbono, envolvendo, por exemplo: mapeamento de carbono orgânico no solo (COS) com auxílio de imagens de satélite, e desenvolvimento de sistemas de coleta de dados remotos de uso e cobertura das terras, os quais juntamente com parcerias nacionais e internacionais estabeleceram resultados inéditos para MRV (métodos quantitativos francamente reproduzíveis e auditáveis). Dessa forma, acreditam os pesquisadores, espera-se por meio dos debates desse eixo contribuir no desenvolvimento e divulgação de recentes pesquisas e inovações em sensoriamento remoto aplicadas ao monitoramento agrícola de última geração, com foco na agricultura sustentável de alta produtividade, coadunando atuais e novos parceiros público-privados, e instituições de pesquisa com demandas estratégicas não apenas para a comunidade de sensoriamento remoto, mas para a sociedade em geral. Saiba mais aqui Link para o eixo Demandas e resultados do monitoramento da Agricultura de Baixo Carbono (ABC) utilizando sensoriamento remoto

Leia Mais
15 Fevereiro

Biodiversidade: Sensoriamento Remoto com radar baseado no espaço

A pegada humana teve um impacto tão grande em outras espécies que esta era geológica foi chamada de Antropoceno. O declínio e a extinção de espécies não humanas resultaram principalmente da destruição do habitat. Mas medir o habitat em áreas amplas requer um esforço considerável, como lidar com acessibilidade limitada e altos custos de pesquisas de campo.Um importante método usado para monitorar a diversidade biológica foi desenvolvido, as Variáveis Essenciais da Biodiversidade, EBVs. Essas variáveis incluem composição genética, população de espécies, características das espécies, composição da comunidade, função do ecossistema, por exemplo, fotossíntese e estrutura do ecossistema, por exemplo, dossel e sub-bosque (Hardisty, et al ., 2019; Pereira, et al ., 2013).O monitoramento desses EBVs em grandes áreas de diversidade de espécies, dentro de habitats, espacial e temporalmente, tem sido muito ajudado nos últimos tempos com o desenvolvimento e novos avanços em sensoriamento remoto.O Airborne Laser Scanning, ALS, com sua capacidade de representar a natureza tridimensional da vegetação, tem sido muito útil; pode medir a cobertura, altura, camadas e área basal do dossel.A varredura a laser no espaço tem sido limitada até recentemente à varredura localizada da altura do dossel e camadas de perfil, como o Global Ecosystems Dynamic Investigator, GECD, e o Ice, Cloud and land Elevation satellite-2, ICESat-2, mas estes são importantes fornecem apenas informações fragmentadas.Retrodispersão do radar. Imagem - Bae et al., 2019.

Leia Mais
15 Agosto

Olhando para fora: satélites na crise climática

Por meio da inovação moderna na era atual, os satélites e as estações espaciais são essenciais para a exploração espacial, descobertas científicas, comunicações e sensoriamento remoto. No entanto, produzir e implementar sistemas orbitais é incrivelmente caro, tanto financeiramente quanto ambientalmente. Novos avanços tecnológicos exigem cada vez mais o uso de satélites, mas com a crescente crise ecológica global, quão essenciais eles são?

Leia Mais
23 Julho

Estudo explora relação entre incêndios e períodos de chuva em Mato Grosso do Sul

O artigo intitulado "Fire foci related to rainfall and biomes of the state of Mato Grosso do Sul, Brazil " (Focos de fogo relacionados às chuvas e biomas do estado de Mato Grosso do Sul, Brasil) foi publicado no último volume da revista Agricultural and Forest Meteorology. A publicação internacional tem como tema principal as inter-relações entre meteorologia, agricultura, silvicultura e ecossistemas naturais. É renomada na área e possui classificação A1 pela Capes, com CiteScore (impacto das publicações através das citações) de 7,2.

Leia Mais
23 Abril

SojaMaps mostra crescimento de menos de 1% de áreas de soja em MT

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) atualiza em sua plataforma SojaMaps o mapeamento das áreas de soja do estado de Mato Grosso utilizando técnicas avançadas de sensoriamento remoto em nuvem. Neste ano-safra 2019/2020 foram detectadas mudanças de áreas de soja em alguns municípios, com um aumento de pouco mais de 4.500 hectares em todo o estado, o que equivale a menos de 1% de crescimento quando comparado com a safra anterior.

Leia Mais
02 Abril

Mapas mostram o potencial impacto do COVID-19 no Brasil

Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, Salvador e Recife. Depois de São Paulo e do Rio de Janeiro, essas sete capitais brasileiras são as próximas cidades com risco de desenvolver surtos de infecção pelo novo coronavírus no país, caso medidas de restrição de mobilidade de pessoas, como o isolamento e o distanciamento social, não sejam de fato implementadas ou, se tomadas, não venham a funcionar.

Leia Mais
16 Novembro

O grande crescimento no mercado de sensoriamento remoto via satélite entre 2019-2025

O relatório de pesquisa de mercado de detecção remota via satélite global inclui dados que podem ajudar as empresas a lidar com esse problema com facilidade e fornece detalhes qualitativos e quantitativos detalhados referentes aos elementos de mercado nos quais as organizações estão interessadas. Também incorpora perfis comerciais essenciais de alguns dos principais fabricantes no mercado.

Leia Mais
16 Novembro

Unemat discute recursos pesqueiros e sensoriamento remoto na Semana Nacional da Ciência e Tecnologia

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) abordou as temáticas “Recursos pesqueiros e suas implicações socioeconômicas” e “Sensoriamento remoto orbital no monitoramento do uso do solo” durante a 16ª edição da Semana Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI), em Cuiabá.
O professor Claumir Cesar Muniz falou para cerca de 200 alunos sobre os recursos pesqueiros e suas implicações socioeconômicas. Doutor em Ecologia e Recursos Naturais, Claumir é professor da Faculdade de Ciências Agrárias e Biológicas (Facab) e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) da Unemat em Cáceres, além de coordenador do Laboratório de Ictiologia do Pantanal Norte (Lipan) e do Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (ProfÁgua).

Leia Mais
15 Agosto

Projeto da Unemat disponibiliza mapeamento da última safra de soja

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) disponibiliza o terceiro mapeamento das áreas de soja, relativo ao ano safra 2018/2019. As informações relativas às áreas de cultivo estão disponíveis na plataforma SojaMaps. Para o estado de Mato Grosso, os dados são apresentados por município com áreas superiores a 0,09 hectares e, para os demais estados brasileiros, são monitoradas áreas de plantio acima de 25 hectares.

Leia Mais
24 Julho

Entenda como o Inpe monitora e gera taxas de desmatamento da Amazônia

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, faz o monitoramento da Amazônia desde 1988. As imagens são obtidas via satélite e o nível de precisão é de 95%, segundo o próprio instituto.O objetivo, de acordo com o site do Ministério do Meio Ambiente, é "quantificar os desmates de áreas com vegetação nativa e, dessa forma, ter embasamento para as ações de fiscalização, controle e combate aos desmatamentos ilegais".O tema veio à tona após o presidente Jair Bolsonaro questionar na última sexta-feira (19) os dados divulgados pelo Inpe sobre o desmatamento da Amazônia. "Com toda a devastação que vocês nos acusam de estar fazendo e de ter feito no passado, a Amazônia já teria se extinguido", afirmou.O Inpe afirma em seu site que desde 2004 adota a política de transparência de dados, que permite que qualquer pessoa acesse as informações do monitoramento por meio do site do instituto.Para fazer a observação, são usados três tipos de sistemas:o Programa de Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite (Prodes);o Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter);e o TerraClass, que mapeia o uso da terra após o desmatamento, em parceria com a Embrapa.A área observada é a da Amazônia Legal, que abrange o Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e parte dos estados de Mato Grosso, Tocantins e Maranhão.Prodes

Leia Mais
24 Julho

Índia se prepara para pousar sonda na Lua e buscar sinais de água

A Índia quer dar um salto gigantesco em seu programa espacial e solidificar seu lugar entre as nações que exploram o espaço do mundo. O país se prepara para lançar sua segunda missão não tripulada à Lua, destinada a pousar um veículo perto do inexplorado polo sul. "Irá com ousadia para onde nenhum país jamais foi", disse a Organização de Pesquisa Espacial Indiana (ISRO) em um comunicado.A missão ganhou o nome de Chandrayaan-2, e teve um custo de US $ 141 milhões.

Leia Mais
24 Julho

Impacto da expansão de terras cultiváveis sobre a biodiversidade

A produção agrícola global deve ser aumentada nos próximos anos, a fim de atender à crescente demanda e à mudança nos padrões de consumo. Isso exigirá a intensificação do uso de terras agrícolas ou a expansão das terras agrícolas. Pesquisadores baseados no LMU Munich, no Instituto Kiel para a Economia Mundial, no Centro Helmholtz de Pesquisa Ambiental (Leipzig) e na Universidade de Palacký em Olomouc (República Tcheca) avaliaram as trocas entre a segurança alimentar e a preservação da biodiversidade associada a ambos estratégias no contexto dos mercados agrícolas globais. O estudo aparece na revista Nature Communications .

Leia Mais
24 Julho

Drones com tecnologia LIDAR ajudam na restauração florestal da Mata Atlântica

A presença dos drones tem se tornado cada vez mais comuns em diversas áreas sociais que abrangem desde o lazer até avançadas pesquisas de reconhecimento de território. No caso de um grupo de cientistas e pesquisadores das Universidades de Connecticut e Flórida, em parceria com profissionais da NASA, os veículos aéreos não tripulados - mais conhecidos como Drones - estão ajudando na importante tarefa de mapeamento da Mata Atlântica no sudeste do Brasil.

Leia Mais
15 Abril

Retorno dos primeiros dados do GEDI revela a terceira dimensão das florestas

A missão GEDI (Global Ecosystem Dynamics Investigation) da NASA foi lançada em dezembro de 2018. A bordo da Estação Espacial Internacional , os lasers poderosos da GEDI criam mapas 3D detalhados das florestas e da topografia da Terra - fornecendo observações espaciais inovadoras e exclusivas. Em janeiro de 2019, os lasers do GEDI foram ligados pela primeira vez e o instrumento agora está dando aos cientistas um primeiro vislumbre dos insights que ele fornecerá nos próximos anos.

Leia Mais
01 Março

Mercado Global de Sensoriamento Remoto Hiperespectral Registra Crescimento

O sensoriamento remoto hiperespectral, também conhecido como espectroscopia de imagem, é uma tecnologia relativamente nova que está sendo investigada por pesquisadores e cientistas no que diz respeito à detecção e identificação de minerais, vegetação terrestre (como é o caso de pesquisas realizadas pelo GAAF - UNEMAT - http://pesquisa.unemat.br/gaaf/noticia/117/variedades-de-soja-podem-ser-detectadas-via-sensores-remotos) e materiais e fundos feitos pelo homem. O sensoriamento remoto hiperespectral é uma ferramenta avançada que fornece dados de alta resolução espacial ou espectral à distância, com o objetivo de fornecer radiância de qualidade quase laboratorial (e informações relacionadas subsequentes) para cada elemento de imagem (pixel) à distância. Esta informação permite a identificação de alvos com base no comportamento espectral do material em questão (principalmente características de absorção das cromosferas).

Leia Mais
28 Fevereiro

Drones mapeiam e inspecionam áreas de mineração para garantir segurança dos mineradores

Mineração é conhecida há muito tempo como uma das profissões mais perigosas do mundo. No subsolo profundo, os trabalhadores podem ser vítimas de desmoronamentos repentinos, inundações ou vazamentos de gases tóxicos. Atualmente, com o avanço tecnológico, drones atuam nessa frente contribuindo com os mineradores. A Emesent, uma startup de tecnologia australiana, criou uma solução chamada Hovermap que permite que os drones naveguem autonomamente por espaços escuros e apertados, mesmo quando não há GPS disponível.

Leia Mais
28 Fevereiro

Cientistas da Unemat, UnB e Ufac sugerem redefinição dos limites da Amazônia

Pesquisadores de três universidades brasileiras publicaram ontem (26), na última edição da revista científica Biodiversity and Conservation (https://doi.org/10.1007/s10531-019-01720-z), um extenso trabalho de mapeamento por satélite revelando que a Amazônia é maior e está localizada mais ao sul do que indicam os limites oficiais. De acordo com o líder dos estudos, professor Ben Hur Marimon Junior, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), a fronteira entre a Amazônia e o Cerrado não está adequadamente posicionada e também não é uma simples linha divisória, como consta nos mapas oficiais.

Leia Mais
06 Fevereiro

Instituto procura bolsistas para estudo de práticas agrícolas

O Instituto Mamirauá está à procura bolsistas para dois projetos de pesquisa com o objetivo de estudar, mapear e entender como a agricultura de corte e queima ou migratória tem se desenvolvido e influenciado na conservação ambiental das reservas Amanã e Mamirauá, no Amazonas. O método, ainda utilizado em comunidades ribeirinhas por toda a região amazônica, consiste na derrubada de uma parte da mata e da queima desse material orgânico, cujas cinzas servirão como fertilizante para o solo.

Leia Mais
09 Janeiro

Ações para lançamento do CBERS-4A em 2019 prosseguem com êxito

Etapa importante dos testes que antecedem o lançamento do satélite sino-brasileiro CBERS-4A foi concluída com sucesso pelos especialistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST, na sigla em inglês). No Laboratório de Integração e Testes (LIT) do INPE, em São José dos Campos (SP), as atividades prosseguirão até maio, quando o satélite será transportado para a China, para lançamento no segundo semestre de 2019.

Leia Mais
24 Dezembro

A sustentabilidade da soja no Brasil

Os consumidores têm exigido cada vez mais das indústrias produtos que não tenham sido produzidos às custas das florestas tropicais. No Brasil, o agronegócio tenta se adequar a esta tendência mundial e tem apresentado para seus clientes no exterior a imagem de uma soja produzida de maneira sustentável na Amazônia, sem agressão à maior floresta tropical do planeta. Não é o que parece. Quem contesta isto é um artigo publicado por pesquisadores brasileiros e norte-americanos (https://doi.org/10.1016/j.landusepol.2018.12.016) que dizem que a soja ainda continua a ser plantada em áreas que eram ocupadas por floresta, ou seja, ainda ocorrem desflorestamentos para a implantação da cultura. Recentemente parte dos autores já havia chamado a atenção para este fato (https://doi.org/10.1016/j.landusepol.2017.11.011) quando avaliaram somente a porção amazônica do estado de Mato Grosso. Neste novo artigo os pesquisadores, além de avaliarem a soja em todos os estados amazônicos, destacam a necessidade de ocorrer uma moratória também no Cerrado, a nova fronteira agrícola da soja no país.

Leia Mais
22 Dezembro

A situação paradoxal do queixada em áreas de milho

Fazendeiros de Mato Grosso, que são os maiores produtores de milho do Brasil, têm reclamado das perdas sofridas em suas lavouras pelos ataques dos queixadas. Estes animais vivem em grupos de várias dezenas até centenas de animais e quando invadem as plantações o dano é certo. Também é certa a retaliação feita pelos fazendeiros, que até agora encontraram como única forma de controle o abate dos animais com armas de fogo, armadilhas e envenenamentos. Este conflito está reportado no artigo “The paradoxical situation of the white-lipped peccary (Tayassu pecari) in the state of Mato Grosso, Brazil” (https://doi.org/10.1016/j.pecon.2018.12.001) por meio da investigação realizada por pesquisadores da Universidade do Estado de Mato Grosso e pesquisadores de instituições na Inglaterra. Os pesquisadores chamam a atenção sobre a necessidade urgente de ser encontrada uma forma de convivência pacífica entre os animais e os fazendeiros, antes que estes magníficos animais, que ainda são abundantes em Mato Grosso, deixem de existir como já ocorreu no nordeste, sul e sudeste do país.

Leia Mais
21 Dezembro

Desmatamento no Cerrado é de 6.657 km2 em 2018

O resultado do mapeamento no bioma Cerrado, realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), aponta 6.657 km2 de desmatamento no período de agosto de 2017 a julho de 2018. Por meio do projeto chamado PRODES Cerrado, foram analisadas 118 imagens do satélite Landsat 8/OLI para registrar e quantificar as áreas desmatadas maiores que 1 hectare. O PRODES Cerrado considera como desmatamento a supressão da vegetação nativa, independentemente da futura utilização destas áreas.

Leia Mais
28 Novembro

Variedades de soja podem ser detectadas via sensores remotos

A soja é uma cultura de origem asiática que começou a ser plantada no sul do Brasil no início do século XX. Hoje é o segundo maior produtor mundial, com mais de 33 milhões de hectares da cultura distribuídos de norte a sul do país. Boa parte dos créditos desse sucesso se deve às pesquisas realizadas, principalmente no melhoramento genético dessa planta na tolerância aos herbicidas, sua adaptação aos vários climas e solos do país e aumento de produtividade. Atualmente no país existe tecnologia para a identificação de variedades de soja por meio de técnicas de sensoriamento remoto, inclusive na detecção fenômica dessas plantas. Os pesquisadores puderam verificar com a utilização de dados hiperespectrais (mais de 100 bandas espectrais) cada variedade com alta precisão, incluindo as geneticamente modificadas. É o que apresenta a pesquisa publicada na Infrared Physics & Technology, “Soybean varieties discrimination using non-imaging hyperspectral sensor”, realizada por pesquisadores da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) em parceria com outras universidades do Brasil e do exterior. A atual tecnologia de sensoriamento remoto, baseada em dados de reflectância no intervalo de 350–2500 nm, tem a capacidade de discriminar essas plantas. As análises das curvas espectrais permitiram sua caracterização baseada em pontos-chave ao longo do espectro eletromagnético. Esses resultados são de caráter inovador e multidisciplinar, envolvendo melhoramento genético de plantas e sensores remotos, permitindo assim abrir portas para o monitoramento não somente dos tamanhos das áreas cultivadas, mas também quais cultivares estão sendo implementadas no país, contribuindo na formulação de políticas públicas do segmento agrícola.

Leia Mais
18 Novembro

Pecuária de baixo carbono na Amazônia

A pecuária que sempre foi a vilã dos desmatamentos e emissões de gases na Amazônia pode se tornar a grande benfeitora nos acordos climáticos firmados pelo Brasil. Isto é o que mostra a pesquisa publicada na Land Degradation & Development, “Achieving low-carbon cattle ranching in the Amazon: ‘Pasture sudden death’ as a window of opportunity”, realizada por pesquisadores da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) em parceria com pesquisador da University of East Anglia (UEA), Inglaterra. As pastagens amazônicas têm sido acometidas por uma síndrome, chamada de “Morte Súbita das Pastagens”, que tem dizimado as áreas com o capim brizantão (Brachiaria brizantha) e obrigado os pecuaristas a renovar seus pastos. A pesquisa mostra que após as renovações houve um aumento na taxa de lotação e diminuição na idade de abate dos bois. Os resultados trazem grandes implicações ambientais, pois, significam que precisamos de áreas menores para abrigar a mesma quantidade de rebanho e diminuição na emissão de metano por kg de carne produzido, mostrando que a intensificação da pecuária na Amazônia começa pela simples renovação das pastagens.

Leia Mais
01 Novembro

SlantRange e Microsoft fazem parceria com soluções escaláveis para análise de culturas agrícolas

A SlantRange, fornecedora líder de sistemas de sensoriamento remoto e análise para agricultura, anunciou uma nova parceria com a Microsoft para trazer um novo conjunto de soluções de medição e dados aéreos poderosos e escalonáveis para o mercado agrícola global. A parceria combinará a mais recente conectividade de Internet das Coisas (IoT) e análise de nuvem com os comprovados recursos de edge-computing da SlantRange em uma oferta integrada de produtos para clientes corporativos que operam programas de drone em larga escala na agricultura.

Leia Mais
27 Setembro

Mercado Mundial de Sensoriamento Remoto

Relatório de estudo de mercado -O Relatório de  Pesquisa intitulado Mercado Global de Sensoriamento Remoto 2018 publicado recentemente é o documento-chave para indústrias / clientes entenderem o atual status de mercado competitivo global. O ano base do relatório de estudo do mercado de Sensoriamento Remoto é 2017 e fornece status e previsão de dados de pesquisa de mercado (2018-2025) e também categoriza o mercado de Sensoriamento Remoto em setores-chave, região, tipo e aplicação. O relatório de estudo do Global Remote Sensing Market 2018 abrange todas as principais regiões geográficas e sub-regiões do mundo e concentra-se nas vendas de produtos, valor, tamanho do mercado e oportunidades de crescimento nessas regiões.

Leia Mais
30 Agosto

Em 2019, satélite Brasil-China vai monitorar desmatamentos

O governo chinês e autoridades do setor aeroespacial brasileiro celebraram, nesta quarta-feira (29), na Embaixada da China, em Brasília, o 30º Aniversário da cooperação entre os dois países na área de satélites. A parceria, conhecida como Programa Cbers (sigla em inglês para Programa Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres), permitiu a produção de cinco satélites sino-brasileiros de recursos terrestres. O sexto equipamento de sensoriamento remoto, o Cbers-4A, está previsto para ser lançado no ano que vem em Taiyuan, no país asiático.

Leia Mais
13 Abril

Seminário sobre drones para mapeamento e topografia em São Paulo

Na manhã de 16 de maio o uso dos drones para mapeamento e topografia será destaque no segundo dia do DroneShow 2018 que acontece na capital paulista de 15 a 17 de maio. O evento contará com 20 atividades, entre seminários e cursos voltados para o mercado de drones e uma feira com mais 40 expositores. Desconfiada no início, a comunidade de geotecnologias já está convencida do potencial do uso dos drones, tecnologia embarcada e softwares para mapeamento, topografia e cadastro. Os sensores embarcados associados aos softwares de planejamento da missão e de pós-processamento permitem executar aerolevantamentos. Os drones são mais uma plataforma e sensoriamento remoto que vem se juntar aos satélites e aviões.

Leia Mais
21 Janeiro

Estado investe para mapear piscicultura

Por conta da importância do uso do solo para o planejamento territorial e tomada de decisão, tendo em vista que fornece informações de destaques tanto quantitativas quanto qualitativas, permitindo viabilizar o acompanhamento sobre a forma como o solo está sendo utilizado, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Agricultura (Seagri), prepara o diagnóstico e zoneamento da piscicultura em Rondônia. O georreferenciamento, conforme acentua o gerente de Aquicultura e Pesca da Seagri, Jander Plaça, propiciará condições para o controle da piscicultura em todo o Estado, por meio de um sistema integrado, viabilizando que a atividade tenha o acompanhamento técnico, baseado no planejamento necessário.

Leia Mais
21 Janeiro

CCJ aprova projeto que regulamenta uso de drones

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou hoje (6) o projeto de lei do Senado (PLS 167/2017) que regulamenta o uso dos veículos aéreos não tripulados (Vants). De autoria do senador Wilder Morais (PP-GO), popularmente chamados de drones, os equipamentos são classificados de acordo com o uso: aeromodelos, para lazer, esporte, hobby ou competição; e Vants, geralmente usados para fins comerciais, de pesquisa ou experimentos, no qual se encaixa o uso pelas polícias no Brasil.

Leia Mais
16 Dezembro

Bioma do Cerrado terá monitoramento com imagens satélite

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, anunciou que a partir do próximo ano os números oficiais de desmatamento no Cerrado, assim como ocorre na Amazônia, serão divulgados anualmente através de monitoramento com imagens satélite. “Esperamos que essa informação possa contribuir para as políticas públicas e sensibilizar a sociedade sobre a importância do bioma e a necessidade de conservá-lo”, afirmou.

Leia Mais
11 Dezembro

Governo peruano declara que “o investimento no satélite foi recuperado depois do primeiro ano'

O PerúSAT-1 completou o seu primeiro ano de operação e o governo peruano declarou recentemente que, nesse período, o investimento que fez no programa do satélite já foi recuperado. O satélite de observação da Terra, que foi construído pela Airbus em um tempo recorde de apenas dois anos, adquiriu mais de 71 mil imagens, que foram fornecidas para mais de 80 organizações em todo o Peru.

Leia Mais
01 Dezembro

Brasil lança o mapa de carbono orgânico do solo

No Dia Mundial do Solo, 05 de dezembro, a Embrapa Solos (Rio de Janeiro, RJ) lança o mapa digital de carbono orgânico dos solos brasileiros na profundidade de 0-30 cm. Ele une modelagem matemática e conhecimentos levantados em campo para ajudar em diversos programas de conservação de recursos naturais. Um dos beneficiários imediatos será o Programa Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que poderá utilizá-lo para direcionar práticas de redução de emissão de gases de efeito estufa. O trabalho utilizou informações ambientais disponíveis como dados a respeito de solo, relevo, vegetação, clima, associando-os a métodos matemáticos estatísticos para inferir informações em locais não medidos. Uma de suas informações mais importantes é o estoque total de carbono do solo a 0-30 cm do Brasil, que seria 36,3 Pg, sendo que 1 Pg (petagrama) = 1 bilhão de toneladas.

Leia Mais
30 Novembro

China lança com sucesso vários satélites de sensoriamento remoto

A China lançou hoje com sucesso vários satélites de sensoriamento remoto a partir de Lançamento de Satélites Center, em Sichuan, no sudoeste do país, como parte de seus esforços para melhorar e desenvolver as suas capacidades espaciais.A agência de notícias estatal Xinhua disse no sábado que os satélites, cujo número é desconhecido, foram disparados espaço "com sucesso" em torno 02.10 hora local (18.10 GMT sexta-feira) em um foguete Long March-2C.Os satélites, que irão realizar testes electromagnéticos e outros experimentos, entrou na órbita programada apenas como planejado.Este é o 256 foguete família operação Longa Marcha, de fabricação chinesa e os combustíveis sólidos, que são menos dependentes de instalações terrestres que o combustível líquido, e é uma tecnologia que há muito dominado China.A operação faz parte do programa científico lança satélites desenvolvidos pela China, paralelas ao plano de exploração da Lua e enviar missões tripuladas, incluindo o estabelecimento de uma estação espacial permanente.O país planeja lançar para o espaço pelo menos quatro novas sondas e satélites antes do ano 2021 para fins diferentes, que vão desde a análise das ondas e campos eletromagnéticos para estudar os ventos na superfície do mar, através da investigação da matéria escuro e evolução do universo.
Fonte: businessmonkeynews.com

Leia Mais
22 Novembro

Pesquisadores mostram que grandes proprietários de terras são responsáveis pelo desmatamento

O Brasil teve uma vez a maior taxa de desmatamento do mundo. E enquanto a terra ainda está sendo limpa a um ritmo alarmante, o país conseguiu reduzir seu desmatamento nas últimas décadas. Continuar essa tendência exigirá uma aplicação contínua do governo sobre os regulamentos e a cooperação dos proprietários que controlam o destino de muitas das florestas remanescentes do país.

Leia Mais
22 Novembro

20 anos de mudanças nas estações da Terra em dois minutos e meio

Do espaço, os satélites podem ver a Terra respirar. Uma nova visualização da NASA mostra 20 anos de observações contínuas de vida vegetal em terra e na superfície do oceano, de setembro de 1997 a setembro de 2017. Em terra, a vegetação aparece em uma escala de marrom (vegetação baixa) a verde escuro (muita vegetação) ; Na superfície do oceano, o fitoplâncton é indicado em uma escala de roxo (baixo) a amarelo (alto). Esta visualização foi criada com dados de satélites, incluindo SeaWiFS, e instrumentos, incluindo o NASA / NOAA Visible Infrared Imaging Radiometer Suite e os Créditos de Spectroradiometer de Imagem de Resolução Moderada: NASA

Leia Mais
25 Outubro

Sensoriamento Remoto para medir o crescimento e o gerenciamento de cultivos

Na maioria dos países do Leste e do Sudeste Asiático, os sistemas de produção de mosaicos geralmente consistem em propriedades de terras relativamente pequenas (<2 ha), geridas por agricultores/famílias individuais. Diversas práticas de manejo de água e campo de campo existem entre os campos espacialmente adjacentes nas principais planícies de cultivo, devido às diferenças na preferência dos agricultores individuais. Os efeitos sazonais do crescimento e do desenvolvimento das culturas estão fortemente relacionados ao meio ambiente do habitat em que são cultivadas.

Leia Mais
19 Outubro

Perda de florestas significa que trópicos emitem mais carbono do que capturam, diz estudo

A perda generalizada de florestas nos trópicos significa que a região emite mais carbono do que captura, invertendo seu papel de longa data de proteção contra as mudanças climáticas, disseram pesquisadores nesta quinta-feira. O estudo, publicado na revista Science, foi baseado em 12 anos (2003-2014) de imagens de satélites, tecnologia de sensoriamento remoto a laser e medições em campo.

Leia Mais
01 Outubro

Uma Solução Integrada de Mapeamento Multi-Spectral de Drone para Agricultura

A empresa baseada em Fairfax, a Icaros Inc., fez parceria com o fornecedor de software de sensores multispectrales e analíticos Agrowing para entregar uma solução integrada de mapeamento multi-espectro de drone para agricultura. Esta nova solução integrada integra a Oneprint Standard Edition da Icaros com as soluções de sensores multisspectrales e agrícolas da Agrowing. O que isso significa é que os usuários Agrowing agora podem processar imagens em mapas ortomossômicos totalmente indexados de alta fidelidade para a agricultura, que são cruciais para análise de precisão profissional.

Leia Mais
01 Outubro

Omni Drone da Sentera oferece indústria agrícola Indústria de terceira camada de saúde em cultivos

A Sentera, designer e fabricante líder de tecnologias de sensoriamento remoto para agricultura de precisão, anunciou hoje a capacidade de seu Omnia quadcopter drone para capturar três medidas distintas de dados de saúde da cultura em um único voo: térmico, índice de diferença de temperatura normalizada (NDVI) e RGB de alta resolução. Emparelhar um sensor térmico DJI XT com o padrão Standard 4K da Omni oferece aos agrônomos, consultores de culturas, conselheiros e produtores uma ferramenta precisa de captura de dados agrícolas que oferece informações multidimensionais.

Leia Mais
17 Setembro

Dez coisas que daria para fazer pelo meio ambiente com a grana do Geddel

Uau, R$ 51 milhões. Em cash. O Brasil inteiro viu e se escandalizou com as imagens das malas e caixas de dinheiro descobertas pela Polícia Federal num apartamento em Salvador que o ex-ministro teria Geddel Vieira Lima teria “pegado emprestado” de um amigo para guardar “as coisas de seu finado pai”. Todo mundo sabe também do trabalho que deu para a polícia contar a bolada – a maior quantidade de dinheiro vivo já apreendida no país.

Leia Mais
17 Setembro

Áreas de várzea são 'calcanhar de Aquiles' da Amazônia, afirmam pesquisadores

Pesquisas científicas já indicaram a resiliência de florestas da Amazônia Central contra variações climáticas drásticas, como em grandes períodos de seca. Entretanto esse argumento tem sido questionado, principalmente pelas evidências de incêndios florestais proporcionados por secas recentes. Segundo pesquisadores internacionais, entre eles um da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), isso acontece principalmente em áreas de várzea da Amazônia. A pesquisa tenta entender porque essas áreas são tão vulneráveis ao calor.

Leia Mais
19 Agosto

Sema inicia mapeamento das árvores de Londrina

A Secretaria Municipal do Ambiente (Sema), por meio da gerência de Áreas Verdes, começou a realizar os primeiros trabalhos de campo como preparativos para a implantação de um sistema informatizado de mapeamento da arborização viária de Londrina. O levantamento inicial de dados foi feito na quarta-feira (9), na Avenida Maringá, em um trecho localizado próximo à Avenida Tiradentes. Técnicos e estagiários da Sema utilizaram aparelhos de GPS e coletaram informações sobre as árvores que ficam nos dois lados da via, analisando as condições fitossanitárias de cada uma e verificando se estão em locais adequados. 

Leia Mais
07 Agosto

Ben-Gurion U. desempenha papel fundamental no satélite de pesquisa agrícola

 A Universidade do Negev de Ben-Gurion está desempenhando um papel fundamental no componente de pesquisa do VENμS, o primeiro satélite de pesquisa ambiental de Israel, lançado hoje no Centro Espacial da Guiana em Kourou, na Guiana. Venμs é um projeto conjunto da Agência Espacial de Israel (ISA) no Ministério da Ciência e seu homólogo francês, Centre National d'Etudes Spatiales (CNES). Clique aqui para assistir o vídeo de lançamento.

Leia Mais
30 Julho

Instrutores do SENAR participam de treinamento em novas tecnologias de agricultura de precisão

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) realiza, de forma continuada, a atualização de seus instrutores para garantir a qualidade das capacitações ofertadas pela entidade. É o que aconteceu esta semana com profissionais do Paraná e Mato Grosso que atuam no Programa Nacional de Agricultura de Precisão. Eles participaram de um treinamento da empresa de máquinas Stara com foco em três equipamentos: plantadeira princesa, pulverizador gladiador e autopropelido imperador 3.0. A tecnologia estudada foi o software topper 5500, controlador que facilita a operação e a interatividade entre a máquina e o usuário.

Leia Mais
13 Julho

Tecnologia de ponta auxilia monitoramento ambiental

Dos dias 10 a 12 de julho, a Universidade Federal de Goiás (UFG), em parceria com a ONG WWF-Brasil e com o apoio da Universidade da Flórida, promoverá o minicurso Sensores Avançados Embarcados em Veículos Aéreos Não Tripulados. Nele, pesquisadores, palestrantes e acadêmicos realizarão testes com dois tipos de sensores de última geração para estudar florestas, solos e biodiversidade brasileiros. O intuito é aprimorar o monitoramento da Floresta Amazônica e do Cerrado, obtendo informações sobre degradação e recuperação florestal nesses biomas.

Leia Mais
04 Julho

Salvaguarda da sustentabilidade através do mapeamento da certificação florestal

O uso de produtos de biomassa florestal - como madeira, combustível de madeira ou papel - de maneira sustentável, sem recursos exaustivos ou redução da biodiversidade florestal, exige transparência na origem e manejo dessas florestas. Uma maneira de implementar o manejo florestal sustentável é certificando a área. Ao mostrar onde as áreas de floresta certificadas estão localizadas e como elas se correlacionam com terras florestais não certificadas e primárias, um novo mapa global lançado em junho de 2017 pode fornecer uma base para uma via global para o uso sustentável de recursos.

Leia Mais
26 Junho

Sensores ópticos: avanço na precisão da produção agrícola

A produção agrícola, já incrivelmente eficiente em grande parte do mundo desenvolvido, está aumentando a cada ano - esta é uma necessidade para alimentar os 9 mil milhões de pessoas esperadas no planeta até 2050. Um ótimo exemplo de ganhos de produtividade é o milho (milho, Zea mays). Uma das culturas mais produtivas, o rendimento do milho aumentou sete vezes nos últimos 100 anos nos EUA, o que significa que sete vezes menos terra é necessária para alimentar o mesmo número de pessoas. Enquanto os solos favoráveis e o tempo sempre desempenharam um papel central na produtividade da agricultura, os aumentos de produtividade foram impulsionados pelo uso e adaptação dos agricultores de tecnologias melhoradas. Apesar dos êxitos passados, a agricultura continua a ser desafiada a 'produzir mais com menos' com insumos agrícolas, como fósforo e água de irrigação, Que estão diminuindo a disponibilidade e aumentando os custos. Esses desafios são agravados por um clima em mudança e a necessidade de assegurar que as práticas sejam sustentáveis de forma econômica e ambiental. Como no passado, a agricultura enfrentará novos obstáculos que surgirão através de descobertas de pesquisa e novas ferramentas de produção. Ao contrário do passado, as ferramentas não serão exclusivamente o domínio de agrônomos, criadores de plantas, engenheiros agrícolas e outros cientistas agrícolas tradicionais; Encontrar soluções exigirá insumos e integração de diversas disciplinas que não foram anteriormente envolvidas na agricultura, como a fotônica e a ciência da computação. Novas tecnologias de sensor e imagens são uma das mais importantes e excitantes novas ferramentas que serão incorporadas para ver e responder ao que anteriormente foi intratável.

Leia Mais
19 Junho

COMO OS SATÉLITES DA NASA PODEM AJUDAR A RESOLVER A CRISE DA ÁGUA NO ORIENTE MÉDIO

Durante pelo menos seis dos últimos 10 anos, Ali Saed, um fazendeiro, não cresceu. A chuva em seu pequeno canto do norte do Iraque era muito escassa, assim como o fluxo de um canal de irrigação próximo. Ele estava a poucos meses de abandonar a agricultura para sempre quando ele chegou a um parente distante, um cientista do governo em Bagdá. Saed foi informado de que alguns fazendeiros tinham tocado lojas de águas subterrâneas, e ele se perguntou se ele poderia fazer o mesmo. Ao dimensionar imagens satélites dos campos circundantes, o primo identificou um mergulho próximo mergulhado com rocha porosa através da qual a água da chuva poderia ter uma vez infiltrado.

Leia Mais
11 Junho

Big Data abre caminho para o setor agrícola indiano através do SatSure

Ao trabalhar em estreita colaboração com o governo e as instituições financeiras, a SatSure visa garantir que o crescimento agrícola do país corresponda à nossa segurança alimentar, juntamente com a segurança financeira dos agricultores.A equipe da SatSure chefiada por Abhishek Raju, co-fundadora e diretora, completou estudos-piloto no distrito de Srikakulam, em Andhra Pradesh, em colaboração com o governo do estado.

Leia Mais
05 Junho

DigitalGlobe anuncia monitoramento de área multi-fonte e capacidades analíticas para SecureWatch

A DigitalGlobe, líder mundial em imagens da Terra e informações sobre o nosso planeta em mudança, anunciou que lançará um serviço de monitoramento premium, o SecureWatch Sites, que fornece imagens de satélite atuais de alto nível, locais globais em um Com base em vários provedores comerciais. As imagens do site SecureWatch são disponibilizadas através da interface baseada na web SecureWatch com locais personalizados pelo cliente.

Leia Mais
04 Junho

Itaipu abre processo seletivo para preenchimento de vaga em Geoprocessamento

A Itaipu Binacional abriu processo seletivo para o preenchimento de vagas em 12 cargos e formação de cadastro reserva. O edital 1.008 publicado na quinta-feira (1º) informa que as inscrições poderão ser feitas a partir de 12 de junho até o dia 11 de julho.Os salários bases variam de R$ 2,9 mil a R$ 6,6 mil, e as taxas de inscrição custam R$ 60 (nível médio), R$ 70 (nível técnico) e R$ 90 (nível superior).As provas serão realizadas no dia 6 de agosto em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, e na capital Curitiba, e aplicadas pelo núcleo de concursos da Universidade Federal do Paraná (UFPR).Para os cargos de nível superior, as oportunidades são para profissionais formados em administração, computação ou informática, engenharia cartográfica e agrimensura, comunicação social (com habilitação em publicidade e propaganda) e computação e informática (para atuação em geoprocessamento).Já para os cargos de nível técnico, as vagas são para técnico em eletrônica, em elétrica, eletrotécnica ou eletromecânica (área de atuação operação de usina e manutenção elétrica), técnico em saneamento e técnico com habilitação em topografia, geodésia, cartografia, agrimensura ou geomensura.

Leia Mais
04 Junho

Intercâmbio entre agronegócio brasileiro e australiano é tema de evento e aborda SR

O agronegócio é um dos pontos fortes das economias brasileira e australiana. Hoje, o Brasil já é um dos principais parceiros comerciais do agronegócio na Austrália, tendo entre as empresas que já investem por lá JBS, Minerva Foods, Marfrig, Tramontina, Marcopolo, entre outras. Para ampliar ainda mais o intercâmbio de estudos e pesquisas em tecnologia agrícola entre os dois países, promover e explorar novas abordagens de interação entre eles, a Austrade - braço do Consulado da Austrália para promoção de negócios e investimentos - realizará o 1º Workshop Brasil-Austrália em Agritech, nos dias 16 e 17 de maio, no campus da Esalq, em Piracicaba.

Leia Mais
31 Maio

Primeiro satélite brasileiro deve entrar em operação em junho

O primeiro satélite geoestacionário do Brasil foi lançado ao espaço no 4 de maio pela empresa Arianespace. A deve entrar em operação até junho deste ano. O Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicação (SGDC) pesa aproximadamente seis toneladas e está posicionado a uma altura de 36 mil quilômetros de distância da superfície terrestre, cobrindo todo o território brasileiro e parte do Oceano Atlântico. O projeto, de 2,8 bilhões de reais, é resultado de uma parceria entre a Telebras e os ministérios da Defesa e Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Leia Mais
21 Maio

Pregão para contratar monitoramento por satélite na Amazônia e outras regiões é suspenso

Um pregão eletrônico do Ministério do Meio Ambiente para contratar serviços de monitoramento ambiental por imagens de satélite foi suspenso na quinta-feira (4), conforme aviso da pregoeira Simone Marcia Borges publicado no site da pasta. O documento diz que haverá ajustes no termo de referência da licitação e que em breve serão anunciadas novas datas para sua realização.O processo de R$ 78,5 milhões estava gerando polêmica porque, entre os diversos serviços previstos na licitação, há o monitoramento ambiental na região da Amazônia, algo que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), ligado ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC), já faz há mais de 20 anos por meio dos projetos Prodes e Deter, que vigiam o desmatamento na região. O ministério, no entanto, afirma que os novos serviços contratados serão complementares aos do Inpe.O MMA detalhou que se trata de uma decisão da pregoeira, sem interferência do ministério. A assessoria de imprensa do ministério disse que tem a informação de que havia dois pedidos de impugnação do pregão.
Leia a notícia na íntegra no site do G1.

Leia Mais